Eu e a Maria Leal

Não vale a pena colocar aqui o vídeo da Maria Leal a cantar. Toda a gente já viu. Foi repetidamente partilhado nesse poço de gente perfeita que é o Facebook, palco das mais altas autoridades em tudo o que é temática. 

Sem excepção acompanhado de um qualquer comentário jocoso (para não dizer insultuoso), o vídeo da actuação da senhora na TVI gerou uma onda de polémica que só lhe trouxe benefícios. E ainda bem, só mostra que, apesar de tudo, ela não é assim tão burra como todos a pintam: soube aproveitar os limões que a vida lhe deu e fazer uma lucrativa limonada.

Antes de mais, convém dizer que a Maria Leal não é a única pessoa que não sabe cantar e canta. Para mim, há muitos artistas portugueses que não sabem cantar e cantam. Tomemos por exemplo Katia Aveiro e, numa onda mais séria, Pedro Abrunhosa que, muito embora considere um colosso no que a letras diz respeito, pouco mais faz do que sussurrar. É o seu registo. Assim como é o registo da Maria Leal não cantar e sim entreter. O Steve Aoki também não é DJ e enche discotecas e festivais por onde passa. Eu já assisti e confirmo: é um entertainer de alta qualidade. E ninguém, por mais que não goste, tem o direito de o enxovalhar. Ou se dá a esse trabalho... São gostos. Não se discutem. E por mais que admitamos que se lamentem, a realidade é que ninguém tem nada a ver com isso.

O problema é que Maria Leal é portuguesa. Não é irmã de um jogador da bola e tem o azar de não ser bonita nem boa. A Maria Leal não é mais feia que a Érica Fontes. Mas a Érica é boa e faz filmes pornô reconhecidos internacionalmente. A Maria Leal é aquela que andava com aquele do Secret Story que abandonou a Bernardina. Foi gozada por ela e por ele, múltiplas vezes, em canal aberto e teve o tempo de antena que a TVI permitiu. A TVI, mais uma vez...

Por isso, que lhe interessa que gozem com ela agora? Mais do mesmo? A Maria Leal ignora. E eu, dos vídeos, retenho a alegria dos velhinhos para quem ela actuou, a viver em lares escondidos aos quais os artistas que se dizem a sério não têm vontade de ir, porque as televisões lá não filmam e os cachets não compensam.

A senhora não faz mal a ninguém. Só ouve quem quer. A sua voz de cana rachada é melodia para muitos ouvidos e a sua presença sinónimo de um dia diferente e mais divertido. Não matou, não roubou, não enganou ninguém e mesmo que o tivesse feito, merecia ser julgada nas devidas instâncias e não em praça pública. É este sempre o problema do portuguesinho. A felicidade ou o sucesso dos outros incomoda-o. Aquilo que os outros fazem importa-lhe sobremaneira, especialmente quando isso não o afecta de maneira nenhuma. Porque a cantoria da Maria Leal não afecta ninguém. Mas toda a gente está afectada. E está entranhado no sangue e na criação do portuguesinho o instinto de a julgar.

No meio disto tudo, uma salva de palmas para o Rui Unas que, mais uma vez, mostrou ser um profissional e uma pessoa de valor. Quase nem parece português! Entrevistou a senhora no Maluco Beleza e ao contrário do que todos pensavam, tratou-a com dignidade, sem paninhos quentes mas com respeito, coisa que, devo frisar, a maior parte desses respeitosos jornalistas portuguesinhos não fariam. O preconceito falaria mais alto.

É o mal que assola a nossa sociedade e se vê em tudo. Mas a Maria está, claramente, a cagar-se para isso. Nisso é um bocado como eu: eu também me estou a cagar para isso. Para aqueles que ficam afectados pelas minhas atitudes quando elas são somente minhas e em nada influencia as suas vidas. Para o Facebook também... As pessoas têm a importância que lhes damos. A Maria - como eu - tem claramente mais importância do que a que os outros têm para ela. E quanto à Maria eu não sei, mas eu garanto que vou continuar a cantar. Sempre e enquanto me apetecer.


Catarina Vilas Boas


You may also like

1 comentário :

  1. Como é óbvio, já vi, já ouvi, já comentei e já me ri com os vídeos dela. Não me afecta nada que ela cante, mas que canta mal, canta. Claro que não é a única (concordo com isso do Pedro Abrunhosa em absoluto e essa outra, a Katia Aveiro, nem nunca a ouvi). E vergonha alheia porque ela é uma croma, é! Como era o Zé Cabra. Como eram aqueles que faziam aparições nos Ídolos. E as pessoas nos programas onde ela vai gozam com ela, é a realidade. No entanto, se isso não a preocupa, tanto melhor para ela. Ganha 1000€ por concerto para fazer o que qualquer pessoa faz, é esperta. Mas diz que não canta mal. Ahah! Adoro o optimismo. A letra é terrível, o som é terrível, o guarda-roupa é terrível e a dança... terrível é. Mas continue enquanto as pessoas acham graça (porque lá que tem imensa graça, tem!), vai dar-lhe um dinheirinho jeitoso.

    ResponderEliminar

Digam-me de vossa justiça, revolucionários, obstinados, rebeldes e insurrectos.

Com tecnologia do Blogger.