E convém relembrar que o é desde o início.


Meu Deus!
Catarina Vilas Boas



Só se esquece realmente uma pessoa com quem se esteve envolvida no momento em que surge interesse por outra. 

Não é quando se começa a falar com outra, ou quando se beija ou dorme com outra, porque falar, beijar e foder podem ser auto-engano. Pode-se falar, beijar e foder só porque sim, por ressabiamento, mesquinhez ou porque se carece da atenção e do chamego numa altura em que a fragilidade roça a indecência. 

É quando se interessa por outra. É quando, em primeira instância, se sente atraída fisicamente por outra e, numa segunda, acha piada, quer conversar, quer ver, quer estar perto, quer alguma forma de contacto, quer descobrir o que é que está ali de diferente, por desvendar, que a atraiu em primeiro lugar. 

E até pode não ser nada. Pode não dar em nada. Pode passar daí a dois dias ou até menos. Não interessa. Porque estar com outra pessoa não é uma necessidade para seguir em frente. Simplesmente querer, mesmo que esse desejo dure segundos apenas, é um sinal de que já se seguiu.

Catarina Vilas Boas

Eu adoro Anselmo Ralph. Pronto, já disse! É daquelas coisas que não tem explicação. E se tivesse também não tinha piada nenhuma!

Catarina Vilas Boas
As pessoas já põem likes no Linked in! Duas semanas e começam a usar aquilo para bater coros.

Catarina Vilas Boas
Estava eu a salivar em frente às prateleiras dos chocolates, já a pensar no cheat day, quando uma senhora me pergunta onde está o chocolate negro. Eu, que nestas coisas das guloseimas sou fera, lá lhe indiquei o que ela pretendia. Mostrei-lhe todos, desde o mais caro ao mais barato, que custava 59 cêntimos. "Dantes era 49", diz-me ela. Eu, que de preços nada sei, respondi-lhe que "Pois, se calhar aumentou" e ela agradeceu a minha ajuda. Ainda ficou a olhar para o chocolate... mas acabou por se ir embora sem ele. 59 cêntimos, pensei eu, se custasse 49, muito provavelmente, ela tê-lo-ia comprado. E são estas coisas que me matam por dentro e me corroem a alma. Falta-me consciência social! Esqueço-me que um chocolate é um luxo e levo a vida na abençoada ignorância que me deixa pagar €1.50 por um que é premium e tem avelãs inteiras. 

Há poucas coisas que me tiram a gula. A afronta desta realidade ingrata que me rodeia é uma delas.


Catarina Vilas Boas
Crianças.

Os adultos já pouco me fascinam e não são assim tão difíceis de conquistar na medida em que caem todos dentro dos mesmos padrões - conhecem-se 5 ou 6 personalidades diferentes e já se sabe o básico para agradar a todos (o que não significa que eu o faça). Com as crianças não funciona assim! Todas elas consistem num desafio. Aquilo que me fez prender a atenção de uma criança hoje, não vai funcionar amanhã. E aquilo que cativou essa criança pode não cativar outra. Elas são imprevisíveis, sem filtros, verdadeiras até ao tutano, doa a quem doer. São espontâneas e, na sua maioria, sem malícia. Estão a aprender como funciona o mundo e fazem-no sem ter em conta o politicamente correcto que os adultos lhes querem enfiar pelas cabeças adentro. São os insurrectos de hoje que, com sorte e se a vida os deixar, virão a ser os revolucionários de amanhã. 

Adoro-as.
Catarina Vilas Boas




O Robert Downey Jr, é como o vinho do porto: quanto mais velho, melhor.
Não tem p'ra mais ninguém! 




Podia passar o dia todo nisto.
Catarina Vilas Boas
E com esta coisa de ser fit, era para pôr canela na banana mas enganei-me e pus noz-moscada... Comi na mesma, que os meus pais são os dois funcionários públicos e cá em casa não se desperdiça nada. A minha ideia inicial eram umas torradinhas com mimosa mas, como diria a minha avó, a casa está como uma igreja!! O que, coincidentemente, é a pior coisa que se pode dizer à minha mãe. E ela até tem a sua razão porque do que há não falta nada. Mas não há pão! É que nem uma côdeazinha de pão-de-forma do branco (daquele que vai direitinho para as zonas críticas do meu fisique) se encontra por estas bandas. Eu ainda faço o esforço de comer do integral e daquele que tem tantas sementes que até tenho medo que germine alguma coisa na canalização, mas não me tirem o pão! O que é uma casa sem pão? O que sou eu sem pão?

Vou treinar. Se entretanto não der notícias é porque desfaleci no meio da estrada de tão fraquinha que estou e alguém me levou na traseira de um camião.

Ah! E boooom diaaaa!
Catarina Vilas Boas
Nunca sei... o meu coração divide-se entre o Jack Nicholson e o Heath Ledger. Mas o melhor Batman de todos os tempos é, sem a menor dúvida, o Christian Bale. Dói-me a alma só de imaginar o que o Ben  Affleck vai fazer ao Bruce Wayne no grande ecrã...


E porque Domingo é dia de filmes, vou só ali ver Batman Begins, Batman The Dark Knight e Batman The Dark Knight Rises e já volto.


"It's not who I am underneath but what I do that defines me." - Batman
Catarina Vilas Boas



Aquela atitude veio do amor, do respeito, da condescendência ou da preguiça?

Catarina Vilas Boas

Catarina Vilas Boas

Decidi que vou escrever um livro. Não tenho propriamente muito a perder... a não ser o juízo!! Mas acho que esse já eu perdi há muito tempo. Agora que me decidi só me falta uma ideia, inspiração diária e método de trabalho. Já para não falar de um muito necessitado aumento do repertório cultural e literário. Sim, porque se é para se fazer, faz-se a sério!! Falta-me pouco, portanto...

Vou-me dedicar à leitura de posts "how to" a ver se me oriento. Tipo este.
Ou isso ou vou dormir, que já é tarde e isto que me está a bater agora no crânio é capaz de ser sono trocado.


I can do anything!
Catarina Vilas Boas
2014 foi um ano muito fraquinho a nível de séries. Dei hipóteses a algumas estreias cujas sinopses me atraíram - eu sou mais do género do estranho, sombrio e personagens torturadas por demónios internos - e saí sempre desiludida. Ora porque a representação era medíocre, ora porque (e isto foi o que aconteceu mais vezes) a história, apesar de apelativa na sua essência, era desconstruída sem graça e de forma maçadora. E oh! como eu detesto que me dêem sono!! 

The Knick veio contrariar essa tendência. A nova série do Cinemax é dirigida por Steven Soderbergh (Erin Brockovich, Ocean's Eleven, Che) e centra-se na vida dos profissionais do Knickerbocker Hospital, com especial ênfase no Dr. Thackery (Clive Owen), um cirurgião genial e completamente viciado em cocaína. A acção desenrola-se em Nova Iorque, no ano de 1900, e aborda temas como o consumo de ópio e cocaína (legal e comercializada em farmácias na época), o racismo, o papel das mulheres na sociedade, os avanços tecnológicos e procedimentos médicos "inovadores" da época, corrupção, dependência, epidemias, sexo e morte, tudo misturado a cru para deleite do cérebro de qualquer espectador que se preze. Simplesmente brilhante!

Concebida para chocar, The Knick conquistou-me o coração e salvou-me o ano.








It's the golden age. Embrace it. Enjoy it.
Catarina Vilas Boas


Não vou muito à bola com a Jessica Athayde. Acho que ela é um bocado cabeça oca, para não dizer outra coisa. Mas isso não me impede de admitir que a rapariga é boa nas horas. Deus não dá com as duas mãos! A ela deu-lhe um corpaço de fazer inveja a um santo. 

Mas pronto, lá houve algum engraçado e alguma ressabiada que decidiram fazer comentários estúpidos sobre o seu fisique e agora é ver os instagrams das celebridades numa onda de women empowerment nunca antes vista (e nem quero imaginar como estará o facebook!), fora o blogue da Jessy James que contem sempre pérolas de me fazerem vir lágrimas aos olhos. #Sheforshe, dizem eles. Como se o maior mal deste mundo machista e hipócrita fosse a depreciação física das mulheres. Falem-me da intelectual, da comportamental, do facto de uma mulher não poder beber ou fumar ou sair à noite sem ser rotulada. Falem-me da mulher que vai para a cama com muitos homens e é chamada de pega na praça pública enquanto que no vice versa eles são garanhões. Falem-me da mulher que não vai para a cama com muitos homens mas que fala com todos eles e é chamada de pega na mesma. Espetem-me o #sheforshe numa foto no instagram cada vez que uma mulher ouve "O que é um fora de jogo?" sempre que se atreve a falar de futebol em frente ao um homem. Falem-me das entrevistas de emprego onde lhes perguntam se são solteiras ou casadas, se têm filhos ou se os pretendem ter. Falem-me do número abismal de violações, agressões físicas e psicológicas. Falem-me das discrepâncias salariais e dos cargos de poder que são usurpados das fêmeas como quem tira doces a um bebé. Falem-me do conteúdo e não das embalagens. Muito menos de uma embalagem daquelas!

Catarina Vilas Boas
Cheat day.


Ainda falta tanto e já só penso no dia!

Catarina Vilas Boas

Quando me relaciono com uma pessoa eu não lhe vejo o estrato bancário, a cor da pele, a sexualidade, o grau de escolaridade, o último nome, os amigos, as amigas, o que fez de mal nesta vida ou que fez de bem. O meu bom ou mau relacionamento com alguém depende única e exclusivamente do que essa pessoa me faz a mim. Se me faz bem, eu sou a melhor amiga que pode ter. Sou. Sou leal, verdadeira, estou lá para tudo, sempre, seja qual for o nível de relacionamento que tenha com a pessoa, conheça-a há 10 minutos ou há 10 anos, eu não falho. Mas se alguém me faz mal, eu sou a maior cabra à face da terra. 

Eu sou o tipo de pessoa que paga tudo na mesma moeda. Guardo rancores como quem guarda ouro e vou levá-los a todos comigo para a cova. Quando eu não gosto de alguém é para a vida. Esse alguém terá em mim fogo que queima e corrói cada vez que se atravessar no meu campo visual. Eu consigo odiar com todas as partículas que fazem de mim um ser vivo. Não perdoo. Não esqueço. Espeto a faca no peito e aproveito cada oportunidade que tiver para a cravar mais fundo, nem que seja só um milímetro. E quando só restar o cabo, eu vou rodar aquela lâmina com prazer doentio.

Mas pior do que o meu ódio é a minha indiferença. Porque há gente que não me fez bem e, apesar de ter tentado, não me fez mal. Sim, há gente que nem sequer sabe ser filha da puta. E anda aí pela vida, sem ter bem a certeza se o lixo que lhe corre na alma está a poluir o mundo que a rodeia. O pior que se pode fazer a essas pessoas é ignorá-las, mostrar-lhes que foram tão banais e insignificantes na sua passagem pela nossa vida que não despertam qualquer tipo de sentimento (a não ser um bocado de pena e nojo). Não são nada a não ser poeira que às vezes ressurge e que eu sacudo.


Catarina Vilas Boas


Fico extremamente chateada quando a inspiração me chega à noite. Quando estou deitada, a tentar abater a insónia, à medida que o sono me submerge, também as ideias, e eu sem nada onde as apontar, sussurro a mim própria "amanhã escreves". O amanhã nunca mais chega. Ou chega. Mas pelo meio metem-se horas de sono mal dormido, sonhos e pesadelos bizarros dignos da pseudo sociopata que sou. E quando o amanhã finalmente chega, as frases meticulosamente arquitectadas naqueles segundos noctívagos de iluminação, aquelas que eu achei tão boas, escapam de mim sem nunca terem chegado a ser minhas. Não as disse. Não as escrevi. Nunca as possuí.

E depois chego aqui. E quero escrever e não consigo. Não me lembro do que me lembrei ontem. Mas era bom! Ou então não e eu já fico contente por ter sido alguma coisa apenas, porque ando numa secura de artifícios hieroglíficos e isso já se nota aqui e em mim, sempre que me deparo com a tela branca que é suposto eu salpicar.

E eu olho para o cursor a piscar, perfeitamente ritmado, já lhe conheço tão bem a cantiga! E não o consigo fazer dançar, saltar, correr linha após linha até chegar ao fim com um percurso de significado e vitorioso. Não consigo. E ele pisca em desatino, farto de estar sempre no mesmo sítio à minha espera. Entediado. Escrevo penosamente uma, duas, três frases, a ver se o contento. Apago-as. Não fazem sentido. O que é que eu estou a fazer? Vou-me embora. O browser diz-me que existem alterações não guardadas que serão perdidas. Pergunta-me se tenho a certeza de que pretendo sair desta página. 

E eu permaneço. Porque acabei de ter uma ideia.


I am
Catarina Vilas Boas
10 spider push ups seguidos, sem fazer batota, com o narizinho quase a tocar no chão.


AQUELE MOMENTO DE GLÓRIA!!

"Blood, sweat and respect. First two you give. Last one you earn."
- The Rock


Catarina Vilas Boas

Também não sou grande  fã da Taylor Swift. É gira nas horas e cheia de classe mas as músicas dela são sempre um bocadinho melodramáticas demais para o meu gosto. Esta Shake It Off, no entanto, veio quebrar um pouco essa tendência e é um verdadeiro hino fuck it (sóquesemapalavra) para todas as teen e pré-teen deste mundo, as suas maiores e mais fieis fãs. A provar isso mesmo está o vídeo que a jovem Mackenzie fez, dançando e cantando o novo hit da artista, em pleno supermercado da cadeia Whole Foods


Estou a pensar seriamente em fazer uma coisa deste género no Pingo Doce aqui da terra... enquanto isso não se concretiza, é ver-me a correr com resistência renovada, tipo Rosa Mota, sempre que esta música começa a tocar no MP3. 

"Cause the players gonna play, play, play, play, play
And the haters gonna hate, hate, hate, hate, hate
Baby, I'm just gonna shake, shake, shake, shake, shake
I shake it off, I shake it off"
Catarina Vilas Boas



Barco Negro - Amália


Não sou grande fã da Amália. Custa-me a engolir aquela costela fascista dela! Mas este fado tem-me o coração. Mais para o fim da noite, quando estou virada prá dança e pró canto, o "Barco Negro" e o "Tiro Liro Liro" não podem faltar e estão sabidos na ponta da língua!! 

De corpo e alma,
Catarina Vilas Boas
Avizinham-se dias muito curtos e noites muito longas. 




Let the games begin!
Catarina Vilas Boas
Não bastava intitular-se "Quem deu um pum?". Para ser um livro cheio de classe e nada bimbo (qualidades altamente apreciadas pela "escritora") tinha que ter, lá pelo meio, a seguinte frase: "Mateus!!! Afinal, foste tu!!! Olha para isso, tens cocó até aos olhos! Vais já para o banho, seu porquinho!"

A IMAGEM MENTAL que esta frase me proporciona é rica demais para a exprimir aqui por palavras...

Ah, e o resumo?
"Há um cheiro estranho pela casa. Um misto de esgoto com ovos estragados que está a dar com a mãe em doida. Afinal, é só um cheiro a pum. Mas quem o terá dado?"  
Hmmmmm uma casa, um cheiro nauseabundo, um bebé. Quem terá sido?? Ohhhh o mistério!! O suspense!! Qual Agatha Christie!? Qual Arthur Conan Doyle!?

O melhor de tudo é que isto não fica por aqui. Este é apenas UM dos livros da colecção com que a senhora nos irá presentear nos próximos tempos. Brace yourselves! Winter is coming! 

Levem-me daqui numa cruz!
Catarina Vilas Boas
Eu já sei!! Quando o homem me põe a dar murros no ar é dito e feito que no dia seguinte não posso dos ombros e das costas. E hoje é dia de Total Body Circuit. Levem-me daqui numa cruz!!


Catarina Vilas Boas


Catarina Vilas Boas


Wicked Game - Chris Isaak
Catarina Vilas Boas

Joshua Jackson




Catarina Vilas Boas
Com tecnologia do Blogger.